A Igreja não tem garantias de que ela sempre terá um papa (sem interrupções); mas quando ela possui um, é garantida à ela um que seja Católico.

Saturday, March 11, 2017

Fontes inesgotáveis do perene ensino da Igreja em relação aos Batismos de Sangue e Desejo


É uma pena testemunhar uma heresia local americana que tanto dano causou --e ainda causa-- aos Estados Unidos, e que foi condenada pela Igreja Católica na pessoa de Pio XII e seu Santo Ofício (Pág. 100, reproduzida abaixo), consiga, de alguma forma, levantar vôo de Boston e aterrizar em nosso pobre Brasil, que já sofre tanto com as inúmeras divisões daqueles poucos que resistem a missa nova e o Concílio Vaticano II.





Eis um magnífico amontoado de citações (em inglês) disponível em PDF aonde pode-se averiguar o ensino perene dos batismos de desejo, e de sangue, através dos Pais da Igreja, dos santos e doutores, dos Concílios e Catecismos, dos Papas, São Tomás de Aquino e também de um dos maiores comentaristas do Evangelho (Cornelius à Lapide), do Breviário Romano, do Ano Litúrgico de Dom Prosper Gueranger O.S.B, dos variados manuais de teologia moral e teologia dogmática, da Enciclopédia Católica, etc.; em suma, em praticamente todos os séculos da vida da Igreja e provenientes de todo tipo de autoridade católica.

Fontes inesgotáveis do ensino dos Batismo de Sangue e Desejo

Lembrando os leitores que, ainda que certos indivíduos Feeneyistas (Fineítas) aceitem a lógica situação da vacância e/ou publiquem bons artigos contra a FSSPX, Resistência, Novus Ordo e afins, eles são condenados pela Igreja Católica e a vasta maioria deles preferem uma leitura calvinista puritana da letra, indo assim contra todas as autoridades católicas listadas no link acima. Que audácia!

Se eles não aceitam todos esses ensinos da Igreja, se eles não aceitam a declaração de excomunhão do Papa Pio XII e seu Santo Ofício, por que haveriam de aceitar nossa correção em um debate? Publiquem e defendam o ensino católico, mas não percam tempo debatendo com hereges e roguem a Deus por suas conversões.



Monday, February 13, 2017

Outro "Mito Tribal" dos R&R (FSSPX/Resistência e afins)



"São Pedro (o primeiro papa) negou o próprio Cristo por três vezes
e não perdeu seu "papado", então por que os "papas" conciliares
não podem negar a doutrina de 
Cristo e continuar sendo papas?"

É de impressionar até onde vai o comportamento daqueles que auto-permitem uma lavagem cerebral feita pelos mitos da FSSPX, Resistência e afins.

Primeiro que Pedro quando negou a Cristo, ele ainda não era papa, ele só se tornou papa após a Ressurreição. Isso deveria ser sabido por qualquer um, ainda mais se tratando de um clero que se diz muito bem formado.


Em segundo lugar, ainda que ele já fosse papa, seu pecado foi o de "desmentir", por enorme medo e pressão, aquilo que intimamente ele acreditava: Cristo. Consequentemente, o pecado dele não foi o de apostasia e/ou heresia pública ensinada por documentos, discursos e ações para toda a Igreja universal. Mas deixemos um Santo e Doutor da Igreja elucidar-nos melhor:


"[A] negação que São Pedro fez no dia da Paixão não deve incomodá-lo; pois ele não perdeu a fé, mas apenas pecou quanto à confissão dela. O medo o fez desmentir o que ele acreditava. Acreditava certo, mas falou mal."
(São Francisco de Sales, A controvérsia Católica - Parte II, Art. VI, Cap. IV, p.IV, p. 259; ênfase do blog.)

E o renomado teólogo Dominicano, Garrigou-Lagrange, também tem algo a nos ensinar a respeito:

"O pecado de Pedro, cometido na tríplice negação de Cristo em sua Paixão foi um pecado contra a confissão externa da fé: "Eu não conheço o Cristo". Não foi comprovada a perda de fé. O Apóstolo teria perdido a fé e pecado mortalmente contra o obrigatório ato interior da fé, se ele tivesse admitido a negação em seu próprio coração ou deliberadamente duvidasse de qualquer verdade revelada sobre a qual houvesse recebido instruções suficientes. Praguejar e jurar exteriormente através do medo, ficam aquém das provas de que ele tenha feito isto." (Pe. Reginald Garrigou-Lagrange, O.P., As Virtudes Teológicas, Vol. 1: Sobre a Fé [St. Louis, MO: Herder, 1965], p249).

E para que não reste sombra de dúvidas de quão chulo seja o "argumento" deles, lembre-se que tal acontecimento cumpria a profecia de Cristo de que "antes que o galo cantasse, Pedro o negaria três vezes" (Mateus 26:34); mas, lembremos, também, que pouco depois da sua "tríplice negação", Pedro se arrepende amargamente e Jesus Cristo o restaura com sua "tríplice confirmação" no amor de Cristo, rendendo-lhe, assim, a responsabilidade de pastorear as suas ovelhas. (João 21:16-17)

Portanto, não dêem ouvidos aos "mitos tribais" dos R&R.